top of page
Buscar

Histórias Inspiradoras: Fotografia não tem vida – até que alguém a veja

Atualizado: 17 de jan.

O autodenominado trade de turismo reserva histórias de vida inspiradoras. São conhecidas algumas delas, a exemplo dos bem-sucedidos empresários Eloy D'Avila, fundador da Flytour; que quando criança foi morador de rua. E Goiaci Alves Guimarães, líder do Grupo Rextur. Foi aclamado pela coragem empresarial com que defendeu os agentes de viagens na presidência da ABAV Nacional (1997 à 2001).

Tão conhecido como Eloy, Goiaci e várias outras celebridades setoriais, que já tiveram suas fotografias exibidas na capa das edições anuais da revista ´Power List 100+ Poderosos do Turismo Panrotas´, é o fotógrafo Emerson de Souza.


Emerson de Souza, aprendendo com a natureza

Nascido em 5 de setembro de 1976, na pacata cidade de Icaraíma-PR, (ou "Terra Abençoada", na língua Tupi) – Remi, como é carinhosamente chamado pelos colegas de redação, trabalha desde a infância.


“Catando papelão, como ajudante de uma quitanda, em ferro-velho, vendendo sorvete e salgadinho na rua. Dos 11 aos meus 14 ou 15 anos, passei a engraxar sapatos, percorrendo as ruas entre os bairros da Saúde e Praça da Árvore, em São Paulo”, relembra Emerson de Souza.


Foi ali que ele fez amizade com a direção da editora. José Américo Marcondes de Carvalho (Conselheiro da Redação); João Batista de Resende Miranda (Diretor Administrativo); Levingstone Sucasas (Diretor Comercial); José Guillermo C. Alcorta (fundador da Editora Panrotas, em 1974) e decidiu aceitar o convite para trabalha com carteira assinada (27/10/92).


“Comecei como office-boy. Ajudava a envelopar e a entregar o Guia Panrotas, sob a gestão de João Lopes (Chefe de Distribuição). Em 1995, João Bastos, fotógrafo da Panrotas, foi o meu primeiro grande professor. Com ele, eu aprendi a gostar de estudar fotografia e contei com o apoio e as orientações dos editores Ana Maria Donato, Luiz Sales, Fabiola Benfeito e Artur Andrade, meu irmão”.


Marluce Balbino, fotógrafa da Panrotas sediada no Rio de Janeiro

Emerson acrescenta que “além disso, busquei e recebi dicas de fotógrafos mais experientes – do Estadão, da Folha de S. Paulo e de outros veículos. Destaco as queridas colegas de Panrotas, como Marluce Balbino (fotógrafa sediada no Rio de Janeiro), Maria Izabel Reigada (jornalista sediada em São Paulo) e muitos outros”, comenta com gratidão.


Risco de demissão


Emerson de Souza com o time Panrotas. Em primeiro plano, Fabiola Benfeito e Artur Andrade

Ainda no período de experiência, ao completar três meses de casa, Emerson foi escalado para cobrir um evento do Feijão Amigo, do saudoso Michel Tuma Ness – o Michelão, no WTC. A máquina fotográfica quebrou. Voltou pra casa certo de que seria demitido no dia seguinte – o que não ocorreu. Desde então, reúne em seu portfólio a publicação de fotos de todos os estados brasileiros e de diversos países.


Isabelli Eduarda, Ana Cristina e Emerson de Souza

Casado com Ana Cristina, pai de Isabelli Eduarda (16 anos) e dos gêmeos Gabriela e Gabriel (24 anos), o ainda tímido Emerson de Souza mantém viagens anuais à sua terra natal, que está situada na região metropolitana de Umuarama ("Capital da Amizade") no Paraná, “onde também aprendo com a sabedoria de quem vive no ambiente rural, observando e interagindo com a Natureza. Em especial, ouvindo e reconhecendo o canto dos pássaros, minha paixão”.


A celebre frase "Uma fotografia não tem vida até que alguém a veja", de autoria da fotógrafa estadunidense Annie Leibovitz, mundialmente conhecida por seu trabalho no campo dos retratos, dá o mote. A Skål Internacional Brasil conclui esta modesta homenagem a quem sabe congelar momentos fugazes. E criar memórias que durarão para sempre.


Gabriel, Gabriela e Isabelli Eduarda

Clique no banner abaixo e confira as demais matérias da edição atual da Revista Skål Internacional Brasil




151 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page